Provedores regionais discutem conectividade na Bahia

Empenhado em estimular ações mais ostensivas por parte do governo e refletir sobre as dificuldades que entravam o desenvolvimento e a expansão das empresas provedoras de internet na Bahia, o segmento promove um grande encontro nesta segunda-feira, 2 , no auditório da UPB, no Centro Administrativo da Bahia – CAB, a partir das 8:00h. O evento, promovido pela Associação de Provedores da Bahia – PROBAHIA e Sindicato das Empresas de Internet do Estado da Bahia – SEINESBA, vai reunir representantes credenciados de todo o estado, envolvendo, segundo levantamento das entidades, cerca de 1.200 provedores regionais que atuam nos 417 municípios baianos, sendo 430 já outorgados pela Anatel. Na pauta de discussão foram incluídos temas considerados cruciais para a categoria, a exemplo do compartilhamento de poste de energia elétrica, o direito de passagem das fibras óticas pelas rodovias, a redução da carga tributária sobre os serviços de telecomunicações e a criação de linhas de crédito específicas para o setor. Segundo o presidente da PROBAHIA, Othon Santana, esses assuntos são prioritários e essenciais para o crescimento e avanço das redes de infraestrutura dos provedores regionais, que veem desempenhando um papel decisivo na inclusão digital, na inovação e no desenvolvimento da economia baiana, sobretudo nas cidades do interior. Othon Santana ressaltou que desde 2010 a PROBAHIA vem alinhando um relacionamento com o governo do estado, participando de grupos de trabalho, avaliações e reuniões com a Prodeb, Coelba e Anatel, justamente para mostrar que os provedores regionais estão fazendo uma grande diferença nos municípios baianos, abrangendo localidades rurais e cidades de pequeno porte que não são consideradas atraentes pelas grandes operadoras. “Estamos ampliando de forma significativa o acesso digital, tornando a vida dos baianos mais produtiva e mais conectada e oferecendo internet mais barata e de boa qualidade”, disse Othon, observando que os provedores locais estão cada vez mais organizados, melhor equipados e criando grupos de cooperação técnica e parcerias que estão possibilitando investimentos conjuntos em redes de fibra óptica, tecnologia que sustenta conexões de alta velocidade *Eficiência na Operação Carnaval* O presidente da associação informou ainda que a qualidade e a eficiência dos provedores pôde ser constatada no Carnaval de 2018 em Salvador, quando um pool de 8 empresas locais foi acionado pelo governo do estado para atender a maior festa popular do país, cobrindo setores estratégicos como o da Segurança, Corpo de Bombeiros, Turismo, Casa Civil e IRDEB, com transmissão ao vivo da TVE, além dos camarotes oficiais. A operação foi realizada com sucesso absoluto e ainda rendeu uma economia de 50% aos cofres do estado, estimativa, segundo Othon, baseada em investimentos que seriam aplicados caso o serviço fosse prestado por grande operadora. O diretor de tecnologia de informação da Secretaria de Segurança Pública – SSP-BA, major Tarcísio Caxias, testemunhou a excelência do trabalho realizado pelos provedores regionais, destacando que pela primeira vez, ao longo dos últimos 15 anos, a Operação Carnaval contou com o suporte desses pequenos provedores que não deixaram a desejar e ainda ofereceram uma conexão mais veloz. O major Caxias enfatizou que esse resultado abriu a necessidade de se ampliar as discussões dentro da rede governamental sobre a participação dos provedores regionais na questão da conectividade e no avanço da banda larga no interior do estado. Precisamos fortalecer essa ideia do compartilhamento e conseguir entregar melhores serviços a custo baixo”, disse o major. “ É de suma importância que o governo e setores da iniciativa privada entendam como esse segmento vem contribuindo para mudar a configuração das perspectivas tecnológicas das cidades e até das periferias dos grandes centros urbanos, onde as operadoras não têm rede para atender”, enfatizou Othon Santana, chamando a atenção para o fato de os provedores regionais estarem se tornando líderes de mercado em suas localidades e financiando com recursos próprios a ampliação das suas redes estruturais. Na prática – disse -, os provedores regionais estão cumprindo, mesmo que indiretamente, a promessa do governo de universalizar o acesso à banda larga no país. ” Então temos que ter a visão ampliada de que se a Bahia quiser estar totalmente conectada no futuro, será necessário congregar todos os agentes envolvidos – governo, pequenas e grandes empresas do segmento – buscando soluções de investimentos, compartilhamento e avanços na instalação das fibras óticas, melhorando assim as conexões e ampliando para toda a população o acesso às melhores tecnologias a custos mais baixos”, concluiu .Dados divulgados pela Anatel indicam que em 2017 os pequenos provedores lideraram o crescimento do acesso à banda larga fixa no país. Do aumento de 7,15% em comparação a 2016, os provedores regionais conquistaram nada menos que 43,72%, com 1,28 milhão dos novos contratos. Dos 28,67 milhões de acesso de banda larga fixa, 4,21 milhões são relativos ao segmento. Cerca de 3,2 milhões de lares são atendidos por provedores regionais, três vezes mais do que em 2011 .Levantamentos apontam cerca de 3.200 empresas operando no país com a outorga da Anatel.Juntas,essas empresas formariam a quarta maior operadora de internet do Brasil. Estima-se, porém, que haja 10 mil empresas atuando informalmente no mercado. A massificação da banda larga no Brasil traria ganhos de R$1,4 trilhão até 2025, segundo a consultoria americana BCG.

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *