Dentista é presa por injúria racial: ‘eu não misturo o meu sangue com merda’

Uma dentista suspeita de insultar, com injúrias raciais, o bebê de uma mulher com quem dividiu apartamento durante a faculdade, em São Paulo, foi presa provisoriamente na manhã desta terça-feira em Teresina, a 523 quilômetros da cidade onde mora, São Raimundo Nonato. Delzuite Macêdo foi apontada como autora de uma série de comentários desrespeitosos contra pessoas negras em uma publicação no Facebook.

O texto foi publicado apenas para amigos, mas capturas de tela circulam nas redes sociais, gerando revolta entre internautas. A dentista afirma que seu filho “é lindo e Branco!”, ao mesmo tempo em que discrimina a vítima, alvo de diversas ofensas, por exemplo, quando diz: “Já vi que você saiu da senzala, porém a senzala ainda não saiu de você”. E ainda: “Não me interesso por gente que nunca chegará ao meu tom de pele”.

A Polícia Civil do Piauí investiga o caso desde o último dia 9, quando a vítima, Thaiane Ribeiro Neves, de 30 anos, procurou a delegacia de São Raimundo Nonato. Segundo o delegado Emir Maia, responsável pela coordenação das delegacias do interior do estado, foi aberto inquérito policial para investigar as publicações da dentista, que também teria compartilhado “notícias de cunho preconceituoso contra a filha de uma ex-amiga”. A delegada titular do Distrito Policial da cidade está à frente das investigações.

— Ela incita o ódio, o preconceito à raça negra, de forma que venha a atingir a honra e a dignidade de toda a raça negra — disse Maia.

Ainda de acordo com ele, Delzuite foi encontrada por volta das 6h desta terça-feira na Casa de Hospedagem do Professor, no centro de Teresina, já com passagem comprada para a cidade de São Paulo.

— Ela confirmou que foi ela mesmo quem divulgou aquelas notícias preconceituosas e odiosas. A prisão foi decretada porque ela estava foragida, não atendia a nenhum chamamento da polícia. Diligenciamos aqui na capital onde ela tinha uns endereços. Antes de ela ser odontóloga, era cabeleireira. Não foi muito difícil encontrá-la — disse o delegado.

Em entrevista ao EXTRA na última semana, a família da suspeita alegou que Delzuite sofre de transtornos mentais e afirmou que vai pedir na Justiça a internação da parente.

— É por causa do descontrole mental que ela está assim. Quanto mais está sob pressão, mais se descontrola — explicou a mãe dela, de 73 anos, por telefone.

Thaiane, que também é dentista, contou estar indignada com o que está acontecendo. Ela frisou que nunca chegou a ser amiga da investigada.

— Nos conhecemos na faculdade e ela foi morar comigo — disse ao EXTRA. — Ela é desequilibrada, não dava para continuar com ela, ela não dividia as contas do apartamento, houve uma briga feia. Tem quase dois anos isso. São várias ameaças que sofro. Ela aprontou no meu casamento, na inauguração do meu consultório, me difamou nas redes sociais, disse coisas sobre minha filha de apenas um mês.

A dentista responde por três processos, todos abertos no ano passado. O primeiro, de março, é por difamação, injúria e ameaça; o segundo, de agosto, é apenas por difamação; enquanto o último, de outubro, é por dano, sem especificar, porém, de que tipo.

 

 

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe uma resposta

Fale conosco
%d blogueiros gostam disto: