Operação Desvio de Rota desarticula quadrilha de roubo de cargas com atuação na Bahia

PARTICIPE DO NOSSO GRUPO NO WHATSAPP

Uma força-tarefa formada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e Investigações Criminais (GAECO) do Ministério Público da Bahia (MP/BA) e pelo Comando de Operações Especiais (COE) da Polícia Civil (PC/BA) deflagrou na manhã de hoje (6) a Operação Desvio de Rota, que desarticulou uma organização criminosa de roubo de cargas com atuação em Salvador e Região Metropolitana, em São Paulo e em Minas Gerais, com ramificação nos três estados.

Nas primeiras horas da manhã, as equipes, formadas por 181 PRFs, 25 promotores e 32 policiais civis, saíram com o objetivo de cumprir 23 mandados de prisão em Salvador/BA, Lauro de Freitas/BA, Alagoinhas/BA, Vitória da Conquista/BA, Feira de Santana/BA, Valinhos/SP, Uberlândia/MG e Uberaba/MG.
Entre mandantes, receptadores, facilitadores e executores dos crimes, 21 pessoas já foram presas até o momento.

As equipes realizaram ainda buscas em estabelecimentos comerciais que faziam a receptação dos objetos roubados e em galpões onde as cargas eram armazenadas e distribuídas posteriormente. Em três dos seis mercadinhos fiscalizados, foram encontrados produtos roubados, e nos outros três havia grande quantia em dinheiro, que foi apreendida pelos agentes.

Já em dois dos seis galpões visitados, era armazenado um grande volume de produtos roubados. Além disso, um automóvel e um caminhão, ambos com mandado de busca e apreensão expedidos no contexto desta Operação, foram apreendidos.

Histórico

A partir de ocorrências de roubo de cargas registradas pela Polícia Rodoviária Federal desde 2015 nas BRs 324, 242, 116, 101 e Região Metropolitana de Salvador, a PRF iniciou um levantamento de inteligência que resultou em um relatório, que foi posteriormente remetido ao Ministério Público/BA. As investigações do GAECO foram iniciadas em setembro do ano passado.

Entre os itens roubados pelas quadrilhas estão cerveja, material de limpeza, papel A4, alimentos, medicamentos, entre outras mercadorias de fácil negociação. A estimativa é que os homens presos hoje tenham movimentado cerca de R$ 4 milhões em produtos roubados.

AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: